Grupo Cidade
Grupo Cidade
Atendimento pediátrico é reestruturado na capital cearense


Foto: Divulgação

A reestruturação da rede de atendimento pediátrico de Fortaleza foi detalhada em planejamento ocorrido nesta quinta-feira (30). Durante a reunião, realizada no Hospital Geral, foram criadas comissões técnicas para acompanhar a transferência gradual do serviço de pediatria do HGF para o Hospital Infantil Albert Sabin. “As comissões vão garantir um debate qualificado na transição da pediatria do HGF para o Albert Sabin. Ao envolver todos os atores que fazem parte da Pediatria da rede pública em Fortaleza, nosso objetivo é programar uma transição gradual, onde precisamos garantir a qualidade da assistência e do ensino”, destacou Judith Caetano, pediatra e diretora-técnica do HGF.

A estratégia integra o plano de modernização e ampliação do acesso aos serviços de saúde na rede pública do Estado. O encontro contou com a participação de representantes da Sesa, da Secretaria Municipal da Saúde de Fortaleza, do HGF, do Hias, do Hospital Geral Waldemar de Alcântara e da Escola de Saúde Pública do Ceará.

Covid-19 no interior

O Hospital Regional Norte ampliou sua estrutura para reforçar o atendimento a pacientes com coronavírus. Durante a pandemia, para atender a demanda, 125 leitos de Unidade de Terapia Intensiva e 81 de enfermaria exclusivos foram criados para casos de Covid-19. “O HRN mais que duplicou o número de leitos de terapia intensiva e ajustou vários perfis nos setores para prestar assistência aos pacientes com Covid-19. Esses leitos estarão disponíveis para eventuais aumentos de demanda que possam ocorrer nas próximas semanas”, explicou o diretor-geral do hospital, Daniel Hardy Melo.

Além disso, a instituição também reforçou o quadro de funcionários da unidade com a contratação de 378 profissionais temporários, como enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeuta e médicos. O HRN passou a contar com cerca de dois mil colaboradores, somando temporários e profissionais que já atuam na unidade. O reforço ocorreu após um esforço coletivo da Gestão de Pessoas, do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, gestores, Centro de Estudos e outros serviços para recrutamento, admissão e treinamento de colaboradores. “Os números nos mostram que está havendo um declínio de novos casos nesses meses de junho e julho, mas não recomendamos ainda que as pessoas descuidem do uso de máscara e deixem de realizar o distanciamento social e outras recomendações das autoridades sanitárias”, reiterou Melo. O uso da máscara, associado ao distanciamento social e à higienização regular das mãos, pode ser ainda mais eficaz para evitar a transmissão do coronavírus e mitigar a pandemia. Aglomeração de pessoas e a conversa muito próxima entre dois indivíduos, sem uso de máscaras, aumentam consideravelmente o risco de transmissão da Covid-19.

COMENTÁRIOS