Grupo Cidade
Grupo Cidade
Edilson Pinheiro: sucesso no ramo de cirurgias

Aos 41 anos de idade, com dez deles dedicados à carreira profissional, Edilson Pinheiro tem seu nome consagrado quando se fala em cirurgia plástica no Estado. Formado na Universidade Federal do Ceará em 1997, ele demonstra uma análise equilibrada do mercado local comparado ao nacional. “As cirurgias se tornaram mais seguras e mais acessíveis e isso aconteceu em todo o Brasil”, afirmou.


Conheça a seguir um pouco mais de um dos alunos mais esforçados de Ivo Pitanguy em uma entrevista exclusiva à Coluna Frisson.

Qual a influência mais nítida em seu trabalho?


De meu pai, Francisco Pinheiro, pela sinceridade e honestidade, e do professor Ivo Pitanguy, pela disciplina e conhecimento.

Como faz para administrar o tempo entre família e profissão?

Sempre procuro dividir bem o tempo, estar com meu filho e esposa mesmo com a sobrecarga de trabalho. Quando se otimiza o tempo, dá para fazer tudo!

Como descobriu a paixão pela profissão?

Desde pequeno, minha mãe falava que, aos três anos de idade, já dizia que queria ser cirurgião plástico. Recebi uma enorme influência de meu pai, Francisco Pinheiro, que era cirurgião plástico, uns dos pioneiros da cirurgia plástica em nosso Estado. Muita gente ainda recorda quando ele operou o nariz da Wanderléia.

Quais as dificuldades que mais enfrenta no cotidiano?


Um trânsito caótico e da violência que parece não ter fim.

Quais os desafios que superou no início da carreira?

O principal foi formar e treinar minha equipe que está comigo até hoje. Trabalhar com seriedade e competência. Hoje, posso dizer com total segurança que conseguimos manter uma qualidade de trabalho e profissionalismo comparável aos melhores serviços de cirurgia plástica do Brasil e do mundo.

 
Como se imagina daqui a dez anos como profissional e pessoa?


Trabalhando um pouco menos e dedicando mais o meu tempo à família.

Nas horas vagas, o que mais gosta de fazer?

Ler.

Como cuida do corpo?

Procuro fazer caminhadas diárias e academia três vezes por semana e, quando posso, ter uma alimentação mais saudável.

Tem muita vaidade?

Tenho orgulho de fazer parte do seleto grupo de profissionais formado na mais importante escola de cirurgia plástica do mundo: do professor Ivo Pitanguy. Através desse conhecimento, proporcionar o bem estar e felicidade aos meus pacientes.

Micheline, Edilson Pinheiro e Arthur

Para onde gosta mais de viajar?


Não tenho um lugar especifico, mas qualquer lugar onde posso estar com minha família e amigos vai ser especial.

Depois dos 60 anos, como você espera que esteja sua vida?

Continuar sendo feliz e, principalmente, fazendo o que gosto, operando e transformando vidas.

Qual estilo musical preferido?


Gosto muito de Flash Back!

Curte assistir televisão? Qual programa que mais gosta?

Dificilmente, tenho tempo para assistir televisão, mas um programa que gosto é Conta Corrente, da Globo News.

O mercado de cirurgia plástica é muito concorrido em Fortaleza?

O mercado não é concorrido para quem faz as coisas como realmente devem ser feitas. Acredito que as pessoas logo percebem e indicam quem trabalha de uma forma correta. Assim, você se destaca no mercado com muita tranquilidade, não importando o quanto concorrido esteja. É algo que não me preocupo!

Você costuma aliar quesitos estrangeiros no seu formato de trabalho?


Qualquer quesito que possa melhorar o meu trabalho estarei adquirindo. Primo sempre pela qualidade e tudo que possa facilitar meu trabalho.

Como foi a experiência ao lado de Ivo Pitanguy?

Foi uma experiência única e fascinante. Aprender com o grande mestre não apenas o lado técnico, científico ou cirúrgico, mas saber que existe algo mais importante do que tudo isso, que é o lado humanitário. Isso foi mais importante!

Confira mais entrevistas em nossa coluna!

Acompanhe o ensaio fotográfico completo. Fotos by Lino Vieira.

COMENTÁRIOS