Grupo Cidade
Grupo Cidade
Álvaro Garnero desembarca no Ceará

Álvaro Garnero e Gaída Dias | Foto: Divulgação

Álvaro Garnero desembarca no Ceará para gravar o programa 50 por 1, em parceria com Record TV. O foco é alavancar o turismo no Brasil. A primeira parada será para gravar uma entrevista com Gaída Dias, e tudo será lançado em primeira mão pela empresária em seu canal no YouTube.  

O destino da nova temporada será a Rota das Emoções, que faz jus ao nome: une os Lençóis Maranhenses, no Maranhão, o Delta do Parnaíba, no Piauí, e Jericoacoara, no Ceará, em uma única viagem. Nos Lençóis Maranhenses, tomados por dunas e lagoas paradisíacas, há dois focos: a cidade de Barreirinhas, a porta de entrada do parque nacional, e a cidade vizinha, de Santo Amaro.

Na primeira opção, existem acessos mais fáceis, como o que segue até a Lagoa Azul, e outros mais aventureiros, como uma tradicional duna de 40 metros que faz o turista precisar até de corda para subir. Já Santo Amaro do Maranhão é uma espécie de "lado B" dos Lençóis: pequena, com clima de interior, mas praticamente dentro do parque. Possui acessos às lagoas mais fáceis do que os de Barreirinhas porque dá para estacionar bem perto das dunas para curtir as lagoas Andorinha, Gaivota e as do circuito Betânia. O Delta do Parnaíba, na divisa entre Piauí e Maranhão, vem atraindo turistas que gostam de unir natureza e diversão. São 73 ilhas, mangues, dunas e 1.450 km até desembocar sua foz no Oceano Atlântico. 

Os passeios são feitos de barco. No caminho, igarapés, árvores de 10 metros de altura, dunas, boas chances de mergulho e o espetáculo da revoada dos pássaros vermelhos, os guarás.
Na outra ponta da rota, está Jericoacoara, no extremo oeste do Ceará. Destino em alta, a vila de Jeri possui vocação turística tão grande que os passeios são divididos por lado: oeste ou leste.
Nas lagoas do Paraíso e da Tatajuba, a água é morna e não faltam redes para o turista descansar. No lado oeste, tirolesa e toboágua rústico, terminando direto nas lagoas.

Óleo na rota

Manchas de óleo no litoral atingiram o Nordeste a partir do final de agosto de 2019. A substância é a mesma em todos os locais: petróleo cru. Em Jericoacoara, a praia da Malhada foi atingida em outubro e, depois, limpa. Já as lagoas – foco do turismo na região – não foram afetadas.

No Delta, os resíduos apareceram em praias da região em outubro e, depois, em novembro, e também foram retirados. Mas o rio Parnaíba, que é por onde acontecem as navegações turísticas, não foi afetado, e os passeios seguiram acontecendo. 

COMENTÁRIOS